Quanta verdade temos aqui… Fica a dica para todos nós!

Quanta verdade temos aqui… Fica a dica para todos nós!

Quanta verdade temos aqui… Fica a dica para todos nós!

“Tudo vai passar.
Eles vão crescer e dispensar nosso colo.
Vai chegar a fase em que os amigos serão mais importantes que os pais.
Que nossas demonstrações de afeto serão consideradas um grande mico.
Que em vez de torcemos para que eles durmam, torceremos pra que cheguem logo em casa.
Que não se interessarão pelos velhos brinquedos.
Que o alvoroço na hora do almoço, dará lugar a calmaria.
Que os programas em família serão menos atrativos que o churrasco com a turma.
Que dirão coisas tão maduras que nosso coração irá se apertar.
Que começaremos a rezar com muito mais freqüência.
Que morreremos de saudade de nossos bebês crescidos.

Por isso…

Viva o agora.
Releve as birras.
Conte até 10.
Faça cócegas.
Conte histórias.
Dê abraços de urso.
Deite ao lado deles na cama.
Abrace-os quando tiverem medo.
Beije os machucados.
Solte pipa.
Brinque de boneca.
Faça gols.
Comemorem.
Divirtam-se.
Acorde cedo aos domingos pra aproveitar mais o dia.
Rezem juntos.
Estimule-os a cultivar amizades.
Faça bolos.
Carregue-os no colo.
Faça com que saibam o quanto são amados.
Passem o máximo de tempo juntos…

…assim quando eles decidirem partir para seus próprios vôos, você ainda terá tudo isso guardado no coração!”

Pais e Filhos.

Pais e Filhos.

FILHOS ÓRFÃOS DE PAIS VIVOS.
A morte da mãe ou do pai, ou até dos dois, desestrutura a vida emocional de uma criança. Mas temos visto nos dias de hoje “filhos órfãos de pais vivos” o que é muito pior.
São crianças, adolescentes e jovens que, infelizmente, têm pais de corpo presente e coração ausente.

Filhos que são criados, mas não educados.

Recebem comida, bebida, remédios, roupas, brinquedos… mas padecem daquilo que é de vital importância na formação de uma criança: a presença de adultos que os amem, cuidem e deem exemplos bons.
Hoje, pais sem paciência entregam seus filhos a babás eletrônicas, à televisão e ao computador como forma de educação, quando deveriam ser os pais os responsáveis pela mesma.
Com isto, formamos um verdadeiro batalhão de filhos órfãos de pais vivos.

“Ensinai os vossos filhos, assentado em tua casa, andando pelo caminho, ao deitar e ao levantar. Para que vivam em paz na terra que o SENHOR DEUS te deu.”( Deuteronômio 11:19-21)